Diocese de Votuporanga


Materias
Ver matéria completa ...
Semana Laudato Si: Diocese de Votuporanga convida paróquias a celebrar Missa do dia do Meio Ambiente 

De 22 a 29 de maio, a Igreja celebra a Semana ‘Laudato Si’, que significa Louvado Seja, atendendo ao chamado do Papa Francisco que marca o sétimo aniversário da encíclica história sobre o cuidado da criação. A carta escrita pelo Santo Padre em 2015, reflete sobre o uso irresponsável dos recursos naturais.

A Pastoral da Ecologia Integral da Diocese de Votuporanga convida para que as paróquias se unam em oração no dia 05 de junho. “Nosso objetivo é que chegue no maior número possível de paroquianos para darmos continuidade ao cuidado da nossa CASA COMUM – PLANETA TERRA”, disse a Irmã Claudenice A. Sabadin, assessora da Pastoral da Ecologia Integral. 

Em Votuporanga, a celebração da Missa do dia do Meio Ambiente, será no dia 05 de junho, às 8h30, na Praça João Guzzo, na Avenida Vale do Sol.

Ver matéria completa ...
Primeiro módulo da EBICAT será neste final de semana

Nos dias 21 e 22 de maio, a EBICAT – Escola Bíblico-Catequética realizará o primeiro módulo da formação, que tratará sobre o Primeiro Testamento. Destinada aos catequistas e interessados no assunto, esta primeira aula será ministrada pelo Padre Roberto da Silva Bocalete, assessor diocesano da Pastoral Bíblico-Catequética e do Pilar da Palavra, e especialista em Pedagogia Catequética (PUC-GO).

Os participantes terão as aulas nos seguintes horários, sendo sábado (21/05), das 7h15 às 20h e no domingo (22/05), das 7h15 às 15h, na Paróquia Santa Luzia em Votuporanga, com entrada pela Rua São Paulo. 

Para participar, os alunos realizaram uma inscrição prévia e participarão de outros módulos que ocorrerão de 02 a 03 de julho: 2º módulo – Segundo Testamento; 10 a 11 de setembro: 3º módulo – Liturgia e Catequese; e 19 e 20 de novembro: 4º módulo – Sacramentos e Catequese. Compõe a programação da Escola Bíblico-Catequética, o retiro que será no dia 29 de outubro, das 8h às 20h.

Ver matéria completa ...
Diocese de Votuporanga passa a contar com Assessoria de Comunicação

A Diocese de Votuporanga informa que, a partir desta terça-feira (17/05), conta com prestação de serviço de Assessoria de Comunicação. O trabalho será realizado pela jornalista Stephani Barbará (GB Comunicação & Mídia).

A profissional irá atuar às terças e quintas-feiras com atendimento presencial na Cúria, das 9h às 12h, nos dias citados, tendo acesso aos secretários paroquiais, coordenadores paroquiais e diocesanos e aos padres para informações, materiais e conteúdos para o site, páginas do Facebook e Instagram da Diocese de Votuporanga. 

Para melhor organização do Setor de Comunicação Diocesano, o Padre Gilmar Margotto permanece como assessor de comunicação para diálogo com a imprensa e questões externas de comunicação e o Padre Roberto Bocalete passa a assessorar a Pastoral da Comunicação (PASCOM) na diocese, encaminhando os trabalhos nessa dimensão.

Ver matéria completa ...
ENCONTRO FORMATIVO COMIDI

O 1º encontro do COMIDI com a região de Nhandeara acontecerá nesse sábado, dia 21, a partir das 14h.

Será no Centro Catequético da Paróquia São João Batista, de Nhandeara.

Podem participar até 3 pessoas de cada comunidade da região.

Ver matéria completa ...
ENCONTRO FORMATIVO COMIDI

O 1º encontro do COMIDI com a região de Nhandeara acontecerá nesse sábado, dia 21, a partir das 14 horas.

Será no Centro Catequético da Paróquia São João Batista, de Nhandeara.

Podem participar até 3 pessoas de cada comunidade da região.

Ver matéria completa ...
Módulo I - Capacitação Introdutória para Conselheiros/as de Políticas Públicas

No próximo sábado, 21 de maio, acontecerá o Módulo I - Capacitação Introdutória para Conselheiros/as de Políticas Públicas, na Paróquia São Cristóvão de Votuporanga/SP.

Será um evento gratuito e presencial.

Proposta: Capacitação Introdutória para Conselheiros e Conselheiras de Políticas Públicas.

Objetivo: Contribuir para o fortalecimento dos conselhos de políticas públicas, num momento que observa-se o enfraquecimento dos mesmos, formando agentes multiplicadores em seus respectivos territórios de vivências.

Público: Representantes das pastorais sociais, organizações da sociedade civil, associações de amigos de bairros, movimentos sociais, conselheiros/as de políticas públicas, lideranças paroquiais e comunitárias.

Metodologia: Capacitação presencial com momentos de vivência de mística, assessoria temática, rodas de conversas e interação com participantes e assessoria.

A capacitação acontecerá em cinco módulos nos dias 21/05, 11/06, 13/08, 10/09 e12/11, aos sábados.

Carga horária: 20 horas aulas

Horário: 07h30 às 11h30

Vagas: 60

Local: Paróquia São Cristóvão - Votuporanga-SP. 

Informações Whatsapp com Adriano Borges 017 98117 2702 ou Ricardo Gutierre 017 99795 7564.

Ver matéria completa ...
Presbíteros do Regional Sul I presentes no 18º Encontro Nacional dos Presbíteros

18º Encontro Nacional de Presbíteros, que está acontecendo em Aparecida.

Estes são os Presbíteros do Regional Sul I, com Dom Vicente, Bispo Referencial do Sul I.

É um momento de partilha, de vivência e de fé.

Nesta edição haverá também a eleição da nova presidência da CNP, que terá o mandato de quatro anos. 

Ver matéria completa ...
O 18º Encontro Nacional dos Presbíteros acontecerá até o dia 14 de maio.

18º Encontro Nacional dos Presbíteros.

Estão participando quase 550 presbíteros de nosso querido Brasil. Ontem refletiram, com o Pe Rosimar, o tema: "Situação atual dos presbíteros no Brasil: uma perspectiva humano-afetiva".

Pe. Rosimar tem uma vasta formação na área da psicologia, e possui pós-doutorado em Psicologia Clínica.

Ainda hoje haverá a formação com Dom Joel Portela.

Ver matéria completa ...
Presbíteros da Diocese de Votuporanga participam do 18º Encontro Nacional dos Presbíteros

Os presbíteros da Diocese de Votuporanga estão presentes no 18º Encontro Nacional dos Presbíteros, em Aparecida: Pe. Adão Reis da Silva (Coordenador da Pastoral Presbiteral) e Pe. Marcos Antônio de Oliveira (Vice-coordenador).

Ver matéria completa ...
Reunião do CODIPA - Conclusão da fase Paroquial e Pastoral do Processo de Escuta do Sínodo dos Bispos 2023

No dia 28 de maio de 2022, acontecerá a reunião do CODIPA da Diocese de Votuporanga.

Será na paróquia São Cristóvão, na cidade de Votuporanga.

A Diocese de Votuporanga se reunirá para receber os questionários referentes às consultas sinodais paroquiais e para tratar de outros assuntos consonantes.

Participarão da reunião:

- O Bispo Diocesano;

- Todos os Padres e Diáconos da Diocese de Votuporanga;

- Os Candidatos ao Diaconato Permanente;

- Todos os assessores diocesanos de Pastorais, Ministérios, Movimentos, e seus respectivos coordenadores;

- Todos os assessores dos 4 Pilares e seus respectivos coordenadores;

- Um coordenador do CPP de cada paróquia;

- Representantes dos Religiosos e Religiosas da Diocese envolvidos em trabalhos Pastorais;               

- Representantes dos Institutos da Vida Consagrada, envolvidos em trabalhos Pastorais.

Ver matéria completa ...
18º Encontro Nacional de Presbíteros

Teve início hoje, 9 de maio, em Aparecida, o 18º Encontro Nacional de Presbíteros.

O Coordenador de Pastoral Presbiteral da Diocese de Votuporanga, Pe. Adão Reis da Silva, e o Vice-Coordenador, Pe. Marcos Antônio de Oliveira, estão presentes neste encontro.

 

"Será realizado até 14 de maio, no Centro de Eventos Padre Vitor Coelho de Almeida, em Aparecida (SP).

Com o tema 'Presbítero, Comunhão e Missão' e o lema 'Vóis sois todos irmãos' (Mt 23,8), a iniciativa é organizada pela Comissão Nacional de Presbíteros, a CNP, e  reunirá presbíteros de várias regiões do Brasil.

Padre José Adelson, presidente da CNP, afirmou que o momento será de “partilha, de vivência de fé”. Revelou também que nesta edição haverá a eleição da nova presidência da CNP, que terá o mandato de quatro anos. 

“A nossa perspectiva é que seja realmente um encontro fraterno, de alegria, de reflexão da nossa vida de missão, do nosso compromisso cristão e de ministério presbiteral”, disse.

O encontro terá a assessoria do secretário-geral da CNBB, dom Joel Portella, e contará com momentos de celebração eucarística; partilha dos organismos e pastorais (CNISB, CRB, PV/SAV), entre outros debates.

Acesse (AQUI) a programação completa do encontro.

“Que tenhamos a graça de realmente sermos cada vez mais bons pastores, presbíteros missionários na missão da Igreja que nos foi confiada pela ordenação sacerdotal, então será um momento muito feliz, de muita alegria, partilha, vivência de fé e de muita graça de termos passado por essa pandemia, de estarmos juntos, vivos e celebrando o dom da nossa vocação”, afirma o padre Adelson.

“Que nossos padres realmente, todos nós, possamos retornar as nossas dioceses com esse grande desejo de continuarmos essa missão que não é somente nossa, mas é nos dada por Cristo e que sejamos pastores com cheiro das ovelhas como nos lembra o Papa Francisco”, finalizou o padre.

Texto-base

A Comissão Nacional de Presbíteros (CNP) solicitou ao secretário-geral da CNBB, dom Joel Portella Amado, que escrevesse um texto para estudos, reflexão e oração dos presbíteros, tratando o tema principal do 18º ENP – “Comunhão e Missão”. 

Toda a flexão apresentada por dom Joel foi consolidada, e posteriormente, publicada em formato de livro. O texto-base traz à luz duas passagens da Sagrada Escritura: “todos vós sois irmãos” (Mt 23,8) e “Vinde a mim, todos os que estais cansados e carregados de fardos, e eu vos darei descanso” (Mt, 11,28).

O presidente da Comissão para os Ministérios Ordenados e a Vida Consagrada da CNBB, dom João Francisco Salm, afirmou que em linguagem simples, flutuante e agradável, a publicação aborda questões sempre atuais e muito caras aos presbíteros.

“Por entre as páginas, os presbíteros se sentirão conduzidos ao longo de veredas que levam de volta ao núcleo de sua vida, missão e vocação”, disse.

Ao longo do subsídio, os leitores poderão encontrar onze passos ou momentos. Entre um e outro, dom Salm explica que há sempre uma sugestão de Leitura Orante da Palavra e perguntas para reflexão pessoal e partilhada.

“É um esquema que propicia o estudo da temática, a oração e a reflexão, tanto individualmente quanto em grupo. Serviria, inclusive, como base para um retiro espiritual com grande proveito”, garante dom João Salm.   

Temas como a missão do presbítero no Brasil na terceira década do século XXI e o presbítero diante das comunidades eclesiais missionárias são abordados no texto-base. O subsídio pode ser adquirido no site da Editora da CNBB, a Edições CNBB":  https://www.edicoescnbb.com.br

 Fonte: CNBB

Ver matéria completa ...
2º encontro do COMIDI com as regiões de Cosmorama e Riolândia

O 2º encontro do COMIDI com as regiões de Cosmorama e Riolândia aconteceu nesse sábado, dia 7, no Centro Catequético da Paróquia São João Batista, de Américo de Campos.

O tema abordado foi "O missionário é sustentado pela oração e Igreja local".

Ver matéria completa ...
Reunião da Pastoral Familiar - Sub-Região RP II

No dia 07 de maio, último sábado, aconteceu a reunião da Pastoral Familiar com as Dioceses da Sub-Região RPII (Barretos, Catanduva, Jales, São José do Rio Preto e Votuporanga), em Palmeira d'Oeste.

Os coordenadores da Pastoral Familiar da Diocese de Votuporanga, Marceli Quatrini e José Carlos  Quatrini estiveram presentes.

Ver matéria completa ...
BISPOS DIVULGAM MENSAGEM AO POVO BRASILEIRO: FÉ, ESPERANÇA E CORAJOSO COMPROMISSO COM A VIDA E O BRASIL

 BAIXE A MENSAGEM AO POVO BRASILEIRO EM PDF.    (NA ÍNTEGRA)

A 59ª Assembleia Geral da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) aprovou a tradicional Mensagem ao Povo Brasileiro. O texto apresenta “uma mensagem de fé, esperança e corajoso compromisso com a vida e o Brasil”. Os bispos lembraram da solidariedade para a superação da pandemia, agradeceram às famílias e agentes educativos pelo cuidado no campo da educação e dedicaram reflexões sobre a realidade do país, cujo quadro atual “é gravíssimo”. Para os bispos, “o Brasil não vai bem!”.

Diante da complexa e sistêmica crise ética, econômica, social e política, a CNBB espera que os governantes “promovam grandes e urgentes mudanças, em harmonia com os poderes da República, atendo-se aos princípios e aos valores da Constituição de 1988”.

A mensagem também aborda o processo eleitoral deste ano, envolto “de incertezas e radicalismos, mas, potencialmente carregado de esperança”. Também chama atenção para as ameaças ao pleito, além de reforçar um apelo pela democracia brasileira.

“Conclamamos toda a sociedade brasileira a participar das eleições e a votar com consciência e responsabilidade, escolhendo projetos representados por candidatos e candidatas comprometidos com a defesa integral da vida, defendendo-a em todas as suas etapas, desde a concepção até a morte natural. Que também não negligenciem os direitos humanos e sociais, e nossa casa comum onde a vida se desenvolve”

Ao final do texto, os bispos convidam a todos, particularmente a juventude, “a deixarem-se guiar pela esperança e pelo desejo de uma sociedade justa e fraterna”.

Confira o texto na íntegra:

 

P – Nº. 0099/22

MENSAGEM AO POVO BRASILEIRO

59ª. Assembleia Geral da CNBB

“A esperança não decepciona” (Rm 5,5).

Guiados pelo Espírito Santo e impulsionados pela Ressurreição do Senhor, unidos ao Papa Francisco, nós, bispos católicos, em comunhão e unidade, reunidos para a primeira etapa da 59ª Assembleia Geral da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil-CNBB, de modo on-line e com a representação de diversos organismos eclesiais, dirigimos ao povo brasileiro uma mensagem de fé, esperança e corajoso compromisso com a vida e o Brasil.

Enche o nosso coração de alegria perceber a explosão de solidariedade, que tem marcado todo o País na luta pela superação do flagelo sanitário e social da COVID-19. A partilha de alimentos, bens e espaços, a assistência a pessoas solitárias e a dedicação incansável dos profissionais de saúde são apenas alguns exemplos de incontáveis ações solidárias. Gestores de saúde e agentes públicos, diante de um cenário de medo e insegurança, foram incansáveis e resilientes. O Sistema Único de Saúde-SUS mostrou sua fundamental importância e eficácia para a proteção social dos brasileiros. A consciência lúcida da necessidade dos cuidados sanitários e da vacinação em massa venceu a negação de soluções apresentadas pela ciência. Contudo, não nos esquecemos da morte de mais de 660.000 pessoas e nos solidarizamos com as famílias que perderam seus entes queridos, trazendo ambas em nossas preces.

Agradecemos ainda, de modo particular às famílias e outros agentes educativos, que não se descuidaram da educação das crianças, adolescentes, jovens e adultos, apesar de todas as dificuldades. Com certeza, a pandemia teria consequências ainda mais devastadoras, se não fosse a atuação das famílias, educadores e pessoas de boa vontade, espírito solidário e abnegado. A Campanha da Fraternidade 2022 nos interpela a continuar a luta pela educação integral, inclusiva e de qualidade.

A grave crise sanitária encontrou o nosso País envolto numa complexa e sistêmica crise ética, econômica, social e política, que já nos desafiava bem antes da pandemia, escancarando a desigualdade estrutural enraizada na sociedade brasileira. A COVID-19, antes de ser responsável, acentuou todas essas crises, potencializando-as, especialmente na vida dos mais pobres e marginalizados.

O quadro atual é gravíssimo. O Brasil não vai bem! A fome e a insegurança alimentar são um escândalo para o País, segundo maior exportador de alimentos no mundo, já castigado pela alta taxa de desemprego e informalidade. Assistimos estarrecidos, mas não inertes, os criminosos descuidos com a Terra, nossa casa comum. Num sistema voraz de “exploração e degradação” notam-se a dilapidação dos ecossistemas, o desrespeito com os direitos dos povos indígenas, quilombolas e ribeirinhos, a perseguição e criminalização de líderes socioambientais, a precarização das ações de combate aos crimes contra o meio ambiente e projetos parlamentares desastrosos contra a casa comum.

Tudo isso desemboca numa violência latente, explícita e crescente em nossa sociedade. A crueldade das guerras, que assistimos pelos meios de comunicação, pode nos deixar anestesiados e desapercebidos do clima de tensão e violência em que vivemos no campo e nas cidades. A liberação e o avanço da mineração em terras indígenas e em outros territórios, a flexibilização da posse e do porte de armas, a legalização do jogo de azar, o feminicídio e a repulsa aos pobres, não contribuem para a civilização do amor e ferem a fraternidade universal.

Diante deste cenário esperamos que os governantes promovam grandes e urgentes mudanças, em harmonia com os poderes da República, atendo-se aos princípios e aos valores da Constituição de 1988, já tão desfigurada por meio de Projetos de Emendas Constitucionais. Não se permita a perda de direitos dos trabalhadores e dos pobres, grande maioria da população brasileira. A lógica do confronto que ameaça o estado democrático de direito e suas instituições, transforma adversários em inimigos, desmonta conquistas e direitos consolidados, fomenta o ódio nas redes sociais, deteriora o tecido social e desvia o foco dos desafios fundamentais a serem enfrentados.

Nesse contexto, iremos este ano às urnas. O cenário é de incertezas e radicalismos, mas, potencialmente carregado de esperança. Nossas escolhas para o Executivo e o Legislativo determinarão o projeto de nação que desejamos. Urge o exercício da cidadania, com consciente participação política, capaz de promover a “boa política”, como nos diz o Papa Francisco. Necessitamos de uma política salutar, que não se submeta à economia, mas seja capaz de reformar as instituições, coordená-las e dotá-las de bons procedimentos, como as conquistas da Lei da Ficha Limpa, Lei Complementar 135 de 2010, que afasta do pleito eleitoral candidatos condenados em decisões colegiadas, e da Lei 9.840 de 1999, que criminaliza a compra de votos. Não existe alternativa no campo democrático fora da política com a ativa participação no processo eleitoral.

Tentativas de ruptura da ordem institucional, hoje propagadas abertamente, buscam colocar em xeque a lisura do processo eleitoral e a conquista irrevogável do voto. Tumultuar o processo político, fomentar o caos e estimular ações autoritárias não são, em definitivo, projeto de interesse do povo brasileiro. Reiteramos nosso apoio às Instituições da República, particularmente aos servidores públicos, que se dedicam em garantir a transparência e a integridade das eleições.

Duas ameaças merecem atenção especial. A primeira é a manipulação religiosa, protagonizada tanto por alguns políticos como por alguns religiosos, que coloca em prática um projeto de poder sem afinidade com os valores do Evangelho de Jesus Cristo. A autonomia e independência do poder civil em relação ao religioso são valores adquiridos e reconhecidos pela Igreja e fazem parte do patrimônio da civilização ocidental. A segunda é a disseminação das fake news, que através da mentira e do ódio, falseia a realidade. Carregando em si o perigoso potencial de manipular consciências, elas modificam a vontade popular, afrontam a democracia e viabilizam, fraudulentamente, projetos orquestrados de poder. É fundamental um compromisso autêntico com a verdade e o respeito aos resultados nas eleições. A democracia brasileira, ainda em construção, não pode ser colocada em risco.

Conclamamos toda a sociedade brasileira a participar das eleições e a votar com consciência e responsabilidade, escolhendo projetos representados por candidatos e candidatas comprometidos com a defesa integral da vida, defendendo-a em todas as suas etapas, desde a concepção até a morte natural. Que também não negligenciem os direitos humanos e sociais, e nossa casa comum onde a vida se desenvolve. Todos os cristãos somos chamados a preocuparmo-nos com a construção de um mundo melhor, por meio do diálogo e da cultura do encontro, na luta pela justiça e pela paz.

Agradecemos os muitos gestos de solidariedade de nossas comunidades, por ocasião da pandemia e dos desastres ambientais. Encorajamos as organizações e os movimentos sociais a continuarem se unindo em mutirão pela vida, especialmente por terra, teto e trabalho. Convidamos a todos, irmãos e irmãs, particularmente a juventude, a deixarem-se guiar pela esperança e pelo desejo de uma sociedade justa e fraterna. Nossa Senhora Aparecida, Padroeira do Brasil, obtenha de Deus as bênçãos para todos nós.

Brasília – DF, 29 de abril de 2022.

Dom Walmor Oliveira de Azevedo
Arcebispo de Belo Horizonte – MG
Presidente da CNBB

Dom Jaime Spengler
Arcebispo de Porto Alegre, RS
1º Vice-Presidente 

Dom Mário Antônio da Silva
Bispo de Roraima, RR
2º Vice-Presidente

Dom Joel Portella Amado
Bispo auxiliar do Rio de Janeiro, RJ
Secretário-Geral 


 

Ver matéria completa ...
SECRETÁRIO-GERAL DA CNBB FALA SOBRE O TEMA CENTRAL DA 59ª AG CNBB: “POR UMA IGREJA SINODAL: COMUNHÃO, PARTICIPAÇÃO E MISSÃO”

O tema central da 59ª Assembleia Geral dos Bispos do Brasil (CNBB) cuja primeira etapa online acontece de 25 a 29 de abril, será “Por uma Igreja sinodal: comunhão, participação e missão”, o mesmo tema da 16ª Assembleia Ordinária do Sínodo dos Bispos, o Sínodo 2023, convocado pelo Papa Francisco.

A opção pela escolha do mesmo tema do Sínodo 2023, segundo o bispo auxiliar do Rio de Janeiro (RJ) e secretário-geral da CNBB, dom Joel Portella Amado, se deu em razão de buscar um alinhamento e atualização das Diretrizes Gerais da Ação Evangelizadora (DGAE 2019-2023) da Igreja no Brasil à luz dos caminhos da Igreja que serão propostos pelo Sínodo 2023. As DGAE serão renovadas na 60ª assembleia do episcopado brasileiro em 2023.

Além do tema central, os bispos, durante a 59ª AG CNBB, vão aprofundar  também seis temas prioritários, entre eles o relatório anual do Presidente, o informe econômico e assuntos das Comissões Episcopais para a Liturgia, para a Tradução dos Textos Litúrgicos (CETEL) e para a Doutrina da Fé (CEPDF). Outros 30 temas estão na pauta desta etapa virtual da 59ª Assembleia Geral da CNBB. São assuntos de estudo, comunicações, análises de conjuntura e os temas que não exigem votações presenciais do episcopado brasileiro.

De acordo com o secretário-geral da CNBB, os temas são escolhidos a partir de uma escuta às dioceses, depois passam pela aprovação do Conselho Permanente da CNBB. São considerados também há temas que são desdobramentos de assembleias anteriores e que precisam de aprovação e encaminhamentos.

16ª Assembleia Ordinária do Sínodo dos Bispos

Em 2023 será realizada a 16ª Assembleia Ordinária do Sínodo dos Bispos, convocada pelo Papa Francisco com o tema “Por uma Igreja sinodal: comunhão, participação e missão”. O tema da sinodalidade propõe a todo povo de Deus refletir sobre a forma de se compreender como Igreja.

A participação e o caminhar juntos indicam a compartilhada missão evangelizadora que cada batizado deve assumir. O Papa Francisco tem afirmado que o “caminho da sinodalidade é o caminho que Deus espera da Igreja do Terceiro Milênio”.

O sínodo diz respeito aos bispos, no seu serviço de presidir as Igrejas particulares mas implica os demais sujeitos eclesiais, de modo a valorizar a participação de todo o Povo de Deus, numa dinâmica participativa que promove a corresponsabilidade de todos e valoriza os diferentes carismas na Igreja.

Na 60ª AG da CNBB, em 2023, as novas diretrizes da Igreja no Brasil serão atualizadas segundo o apontamentos do Sínodo 2023. Foto: ASCOM CNBB

O processo do Sínodo 2023 na Igreja no Brasil

Atendendo a um pedido da Secretaria do Sínodo, a CNBB articulou a organização da Equipe Nacional de Animação composta por membros da CNBB, suas comissões (Família, Cultura e Educação e Bíblico-Catequética), regionais (Sul 2, Sul 3 e Sul 4); da Conferência dos Religiosos do Brasil (CRB), irmã Teresinha Del’Acqua e o padre João da Silva Filho.

Esta comissão se reuniu, dia 21 de junho, para conhecimento e planejamento de atividades de mobilização e animação do processo do Sínodo 2023 no Brasil. Realizou dia, 29 de julho, a primeira live sobre o Sínodo 2023 no Brasil, com 244 pessoas de 208 dioceses brasileiras. A live atingiu a participação de 74.82% das 278 circunscrições religiosas no Brasil. Integrou o grupo de participantes, os representantes de dioceses, secretários executivos dos 19 regionais da CNBB e convidados.

Nos dias 9 e 10 de outubro, em Roma, o Papa Francisco abriu, a primeira fase do processo de escuta do povo de Deus nas dioceses do mundo inteiro. Em comunhão com toda a Igreja, as dioceses do Brasil iniciaram a fase local do Sínodo. A fase de escuta às Igrejas Particulares acontece até junho de 2022 com o processo sinodal envolvendo todas as comunidades, paroquias, movimentos e vida consagrada.

No dia 14 de outubro, a Equipe de Animação do Sínodo 2023 no Brasil promoveu uma segunda live com o tema “Por uma Igreja Sinodal” com foco na organização da etapa de escuta nas Igrejas Particulares, com início em outubro de 2021. Com transmissão ao vivo pelas redes oficiais da CNBB, a live teve o objetivo de formar e capacitar os coordenadores e animadores nas diversas dioceses para conduzirem o processo de escuta sinodal em cada uma das Igrejas Particulares.

A Comissão lançou um hotsite, no site da CNBB, como elemento dinamizador do processo de mobilização do Sínodo, divulgação dos documentos preparatórios como o Vade-mécum da Assembleia sinodal, de notícias e explicações sobre as diferentes fases e etapas.

No início de 2022, a Comissão deu novo fôlego à mobilização das dioceses e Igrejas particulares divulgando notícias do processo de escuta. Foi pensada uma rodada de encontros com as macrorregiões do país, com os coordenadores dos Sínodos nas dioceses, com vistas a partilhar as novidades no processo de escuta nas Igrejas Particulares, animar o processo sinodal e alinhar os procedimentos para a sistematização do relatório diocesano.

Os encontros online foram realizados por blocos regionais, sendo 28/03 – Norte e Noroeste (Norte 1, Norte 2, Norte 3 e NO); 29/03 – Nordeste – (Nordeste 1, Nordeste 2, Nordeste 3, Nordeste 4 e Nordeste 5); 30/03 – Centro Oeste e Oeste 1 e 2; 06/04 – Sul (Sul 1, Sul 2, Sul 3, Sul 4); e 07/04 – Sudeste (Leste 1, Leste 2, Leste 3).

Fonte: CNBB

Ver matéria completa ...
Celebração da Paixão de Cristo e Adoração da Santa Cruz

Na Sexta-Feira Santa, Dom Moacir Aparecido de Freitas presidiu a Celebração da Paixão de Cristo e Adoração da Santa Cruz, na Catedral de Votuporanga.

Ver matéria completa ...
Missa da Ceia do Senhor

Dom Moacir Aparecido de Freitas presidiu a Missa da Ceia do Senhor, com o ritual litúrgico do Lava-pés, e celebrando a Instituição da Eucaristia e do Sacerdócio.

Ver matéria completa ...
MISSA DOS SANTOS ÓLEOS E RENOVAÇÃO DAS PROMESSAS SACERDOTAIS

A Missa dos Santos Óleos e Renovação das Promessas Sacerdotais, aconteceu no dia 14 de abril, na Capela São Francisco e Santa Clara, em Votuporanga.

Foi presidida por Dom Moacir Aparecido de Freitas, e concelebrada pelos presbíteros da Diocese de Votuporanga.

Ver matéria completa ...
1º MÓDULO DA ESCOLA DIOCESANA DE LITURGIA - REAGENDADO

O primeiro módulo da Escola de Liturgia que aconteceria de 22 a 24 de abril, foi reagendado p/ 24 a 26 de junho, na Catedral Nossa Senhora Aparecida, em Votuporanga.

Ver matéria completa ...
MISSA DOS SANTOS ÓLEOS E RENOVAÇÃO DAS PROMESSAS SACERDOTAIS

A Missa dos Santos Óleos e Renovação das Promessas Sacerdotais, acontecerá no dia 14 de abril, às 9h, na Capela São Francisco e Santa Clara, em Votuporanga.

UNIDADE SACERDOTAL E OS SANTOS ÓLEOS

Na Semana Santa celebramos o Mistério da morte e da ressurreição de Jesus Cristo, como unidade pascal. Ela inicia com o Domingo de Ramos e da Paixão do Senhor e tem seu centro celebrativo no Tríduo pascal, que começa com a Missa vespertina da Ceia do Senhor (5ª Feira Santa) e possui seu ponto alto na Vigília Pascal, encerrando-se com as vésperas do Domingo da Ressurreição.

Hoje não queremos falar diretamente sobre a celebração de todos estes mistérios, próprios da Semana Santa, mas desejamos destacar a vocação sacerdotal, lembrada especialmente no primeiro domingo do mês vocacional de agosto e recordada vivamente na 5ª Feira Santa, quando é celebrada a Missa da Bênção dos óleos e a consagração do santo Crisma, após a Renovação das Promessas Sacerdotais. Nesta celebração o bispo, rodeado pelos seus presbíteros concelebrantes, os quais renovam o que prometeram na Ordenação sacerdotal, abençoa o óleo da unção dos enfermos (usado pelos presbíteros para ungir idosos e doentes), o óleo dos catecúmenos (usado pelos presbíteros e diáconos no Batismo) e o óleo do santo crisma (usado pelos diáconos e presbíteros no Batismo, e pelo bispo na Confirmação, nas Ordenações de bispos e de presbíteros, na Consagração de igrejas e altares). Esta celebração da Missa do Crisma, presidida pelo bispo, “é considerada uma das principais manifestações da plenitude do seu sacerdócio e sinal de estreita união dos presbíteros com ele… A consagração do crisma é da competência exclusiva do Bispo… É sempre concelebrada. Convém que, entre os presbíteros que a concelebram com o Bispo e são seus representantes e cooperadores no ministério do santo crisma, encontrem-se sacerdotes das várias regiões da diocese” (Pontifical Romano, 2ª Ed. Paulus, 2004, pp. 525-527, nn. 1, 6 e 14. Cf. tb. Missal Romano – Missa do Crisma, pp. 235ss).

A reforma litúrgica do Vaticano II, portanto, manteve uma antiga cerimônia e acrescentou o rito da Renovação das Promessas Sacerdotais, que antecede a Bênção dos Óleos e a Confecção do Crisma. Jesus, junto com a eucaristia, instituiu também o sacerdócio, dizendo aos apóstolos: “Fazei isto em memória de mim”. Por isso, na 5ª Feira Santa, de manhã, os sacerdotes das dioceses concelebram com seu Bispo na Missa do Crisma, como sinal de unidade e de comunhão sacerdotal. O bispo, os sacerdotes e diáconos participam do mesmo sacerdócio de Jesus Cristo, embora em graus diferentes.

Pelo que vimos acima, certamente, entendemos o sentido e a importância da bênção dos óleos dos enfermos e dos catecúmenos e da consagração do óleo do santo crisma, na Semana Santa, os quais são levados pelos presbíteros para as Paróquias e ministrados, somente pelos ministros ordenados, durante o ano todo. Por isso, só é permitido o uso destes óleos nas ocasiões indicadas pela Igreja e pelas pessoas competentes, segundo o grau de seu ministério ordenado. Estes Óleos não são usados pelos leigos, mesmo que sejam ministros extraordinários. Também seja evitado o uso de outros óleos, mesmo simbólicos, pois estes confundem os fiéis e levam a equiparações. Concluímos hoje, com votos de feliz e santa Páscoa!

Dom Aloísio Alberto Dilli
Bispo de Santa Cruz do Sul

Fonte: CNBB

Clique aqui para ver mais Matérias