Diocese de Votuporanga



Procurar Horário
de Missa

Liturgia
Diária

Calendário
Diocesano

Notícias
do Papa

Eventos
29
Setembro
01
Outubro
26
Novembro

Assembleia Eclesial da América Latina e Caribe 2021



 

PDF do documento

A Assembleia Eclesial da América Latina e Caribe quer relembrar o que aconteceu na V Conferência Geral de Aparecida, e contemplar contemplativamente nossa realidade com seus desafios, reacenderemos nosso compromisso pastoral para que, em Jesus Cristo, nossos povos têm uma vida plena e em novos caminhos .

“Todos somos discípulos missionários em saída” é o lema que nos convoca, em comunhão com o Papa Francisco, a empreender um itinerário participativo para discernir os novos caminhos que devemos percorrer para responder aos desafios pastorais da Igreja na América Latina e no Caribe, no contexto atual, enquanto faremos memória da V Conferência Geral do Episcopado Latino-americano realizada em Aparecida (Brasil), em 2007.

Obrigatório ao seu carácter sinodal,  a realização desta Assembleia Eclesial - entre 21 e 28 de novembro de 2021, na Cidade do México  - assim como o seu processo de escuta do Povo de Deus, o seu itinerário espiritual e a sua posterior implementação, marcarão um marco no caminhar dos discípulos missionários do nosso continente. Leigos e leigas, religiosas e religiosos, diáconos, seminaristas, sacerdotes, bispos, cardeais e pessoas de boa vontade, farão parte deste grande evento eclesial, sob a proteção de Nossa Senhora de Guadalupe, Padroeira da América Latina e do Caribe, à medida que nos aproximamos da celebração do 500º aniversário do Evento Guadalupano e do 2000º aniversário da nossa Redenção (2031 + 2033).

Será uma experiência de escuta, diálogo e encontro, à luz da Palavra de Deus, do Documento de Aparecida e do Magistério do Papa Francisco, para contemplar a realidade dos nossos povos, para aprofundar os desafios do continente no contexto da pandemia da Covid-19 , para reacender o nosso compromisso pastoral e para procurar novos caminhos para que todos nós possamos ter vida em abundância.

Processo de Escuta

Este  processo de escuta , desde uma perspectiva sinodal, será a base do nosso discernimento e nos iluminará para orientar os passos futuros que, como Igreja da região e como CELAM, devemos dar ao acompanhamento Jesus hoje encarnado no meio. do povo, no seu “Sensus fidei” que é o seu sentido de fé. Esta escuta prevista previamente entre os meses de abril e julho, foi prolongada até o dia 30 do mês de agosto deste ano de 2021 , por isso pedimos-vos que estais atentos e peçamos a participação dos vossos órgãos eclesiais de referência.

 

Informações

Acesse os Documentos:  https://assembleiaeclesial.com.br/

Site oficial:  https://asambleaeclesial.lat/

Facebook:  https://www.facebook.com/asambleaeclesial

Youtube:  Celam TV

Instagram:  https://www.instagram.com/asambleaeclesial/

 

 

 

Fonte:  Comitê de Informação Assembleia Eclesial da América Latina e Caribe

Diocese de Votuporanga - Sínodo dos Bispos 2023

A Diocese de Votuporanga já começou sua caminhada sinodal rumo ao Sínodo dos Bispos, que acontecerá em 2023.

Haverá uma reunião com os padres e alguns leigos engajados, para orientaçãoes e início dos trabalhos referentes ao Sínodo.

. . .

"O caminho da sinodalidade é o caminho que Deus espera da Igreja do terceiro milênio" (Papa Francisco)

Dom Moacir participou hoje, 14 de setembro, da reunião com o clero da Diocese de Votuporanga, a respeito do Sínodo dos Bispos, que acontecerá em  2023, com orientações e início dos trabalhos do processo sinodal da Diocese.

A reunião aconteceu na Capela Santo Antônio, em Votuporanga.

. . .

Seminaristas retornaram suas atividades pastorais

Acompanhamento pastoral integra uma das dimensões das Diretrizes para a formação dos Presbíteros da Igreja no Brasil

Os seminaristas da Diocese de Votuporanga retornaram no mês de agosto, dedicado às vocações, para os estágios pastorais. As atividades foram interrompidas no ano passado devido a pandemia da Covid-19. O acompanhamento pastoral integra uma das dimensões das Diretrizes para a formação dos Presbíteros da Igreja no Brasil, juntamente com a dimensão humana, espiritual e intelectual.

Os seminaristas foram direcionados para as seguintes Paróquias:

Eduardo da Costa Ribeiro (3º Filosofia) – Paróquia Santo Antônio de Pádua, de Cosmorama, com o padre Silvio Donizete Delfino;

Rogério Batista Rosa (3º Filosofia) – Paróquia São Cristóvão, de Votuporanga, com o padre Alexandre Pereira da Silva;

Brenno do Nascimento Eugenio (1º Teologia) – Paróquia Santa Joana Princesa, de Votuporanga, com o padre Adão dos Reis da Silva;

Ancelmo José Lio (2º Teologia) – Paróquia São Benedito e Nossa Senhora de Fátima, de Votuporanga, com o padre Murilo de Souza da Silveira;

Bruno Luiz Santos Silva (2º Teologia) – Paróquia São Roberto Belarmino, de Pontes Gestal e Paróquia São João Batista, de Américo de Campos, com o padre Roberto da Silva Bocalete.

 

A formação pastoral possibilita a combinação dos aspectos teóricos e práticos, evitando um conhecimento apenas operativo. Permite que o seminarista seja um evangelizador e missionário, ou seja, alguém que sai de seus espaços eclesiais para seguir ao encontro das pessoas onde elas estão, anunciando o Evangelho.

O seminarista Rogério destaca que toda experiência pastoral é sempre enriquecedora. “Jesus formou seus discípulos missionários no dia a dia da missão através da convivência com Ele e com o povo. Apesar de todo o conteúdo que nós aprendemos em sala durante a formação no seminário, é na pastoral e na missão que nós aprendemos a viver o ministério para o qual estamos nos preparando.”

Enquanto Bruno Luiz enfatiza alguns aspectos propiciados pelas atividades pastorais na caminhada do seminarista. “A experiência pastoral auxilia no diálogo e cooperação com projetos de evangelização desenvolvidos pela comunidade eclesial, sendo também uma preparação da vivência paroquial-pastoral do futuro presbítero.”

Vale ressaltar que a Diocese de Votuporanga está promovendo encontros vocacionais, direcionados para rapazes que já concluíram o ensino médio ou cursam o último ano. Mais informações podem ser obtidas com os padres assessores da Pastoral Vocacional, padre Silvio Donizete Delfino, pelo telefone (17) 99613 1040 e padre Murilo de Souza da Silveira, pelo telefone (17) 99613 1041. Os encontros acontecem mensalmente em Cosmorama.

. . .

O Sínodo à escuta dos fiéis, publicado o Documento preparatório

"Para uma Igreja sinodal: comunhão, participação e missão - Documento preparatório". A Secretaria Geral do Sínodo apresenta o texto preparatório e o Vade-mécum para orientar o caminho do Sínodo sobre a Sinodalidade, que será aberto nos dias 9-10 de outubro em Roma e em 17 de outubro nas Igrejas particulares, e será concluído com uma Assembléia no Vaticano em 2023.

Salvatore Cernuzio – Vatican News

Ouvir, "sem preconceitos". Tomar a palavra, "com coragem e parrésia". Diálogar com a Igreja, a sociedade e as outras confissões cristãs. A Secretaria Geral do Sínodo publicou o Documento Preparatório e o Vade-mécum para indicar as diretrizes sobre as quais o caminho do Sínodo sobre a Sinodalidade será orientado. O Sínodo será solenemente aberto em 9-10 de outubro em Roma e em 17 de outubro nas Igrejas particulares, e será concluído com a Assembléia dos Bispos no Vaticano em 2023.

O documento pretende ser sobretudo "um instrumento” para facilitar a primeira fase de escuta e consulta do Povo de Deus nas Igrejas particulares, que começará em outubro de 2021 e terminará em abril de 2022. Enquanto o Vade-mécum é concebido como "um manual" que oferece "apoio prático" aos referentes diocesanos para preparar o Povo de Deus. Inclui orações on-line, exemplos de Sínodos recentes, um glossário de termos para o processo sinodal. "Não um livro de regras", mas, "um guia para apoiar os esforços de cada Igreja local".

 

LEIA TAMBÉM

Documento preparatório Sínodo 2023

07/09/2021

Documento preparatório Sínodo 2023

 

 

Na base das duas publicações há uma questão fundamental: "Como é que este “caminhar juntos” se realiza hoje em diferentes níveis (do local ao universal) que permite à Igreja de anunciar o Evangelho, de acordo com a missão que lhe foi confiada? Que passos o Espírito nos convida a dar para crescermos como Igreja sinodal?

Para responder a esta pergunta, a Secretaria do Sínodo salienta a necessidade de "viver um processo eclesial participativo e inclusivo" que ofereça a cada um, de maneira particular aqueles que se encontram à margem, a oportunidade de se expressar e ser ouvido; em seguida, reconhecer e apreciar a variedade de carismas e examinar "como a responsabilidade e o poder são vividos na Igreja". Em seguida, é solicitado a "credenciar a comunidade cristã como um sujeito credível e parceiro fiável" em percursos de diálogo, reconciliação, inclusão e participação. E também para "regenerar as relações" com representantes de outras confissões, organizações da sociedade civil e movimentos populares.

Portanto, medidas concretas que se dão num marco histórico marcado pela "tragédia" da Covid e num contexto em que a Igreja enfrenta a falta de fé interna, corrupção e abusos. É precisamente nestes "sulcos cavados pelo sofrimento", no entanto, que "novos caminhos" florescem para "refundar o caminho da vida cristã e eclesial".

O documento dedica amplo espaço aos leigos. Reafirma que todos os batizados são "sujeitos ativos de evangelização" e que é fundamental que os pastores "não tenham medo de ouvir o rebanho". Em uma Igreja sinodal, de fato, cada um "tem algo a aprender" com o outro.

O texto preparatório propõe então perguntas para orientar a consulta do Povo de Deus, começando com uma questão: Como se dá hoje o "caminhar juntos" em sua Igreja particular? Por isso, é preciso reexaminar as experiências da própria diocese a este respeito, levando em conta as relações internas da Diocese entre os fiéis, o clero e as paróquias, mas também entre os bispos, com as diversas formas de vida religiosa e consagrada, com as associações, os movimentos e as instituições como escolas, hospitais, universidades e organizações caritativas. Também devem ser consideradas as relações e iniciativas comuns com outras religiões e com o mundo da política, cultura, finanças, trabalho, sindicatos e minorias.

Por fim, o documento ilustra dez núcleos temáticos sobre a "sinodalidade vivida" a serem explorados a fim de enriquecer a consulta. Estes incluem: refletir sobre quem faz parte do que chamamos de "nossa Igreja"; escutar os jovens, as mulheres, os consagrados, os descartados, os excluídos; considerar se um estilo autêntico de comunicação é promovido na comunidade, sem duplicidade; avaliar como a oração e a liturgia guiam o "caminhar juntos"; refletir sobre como a comunidade apoia os membros engajados em um serviço; repensar lugares e modos de diálogo nas dioceses, com dioceses vizinhas, com comunidades e movimentos religiosos, com instituições, com os não-crentes. E também: questionar-se como é exercida a autoridade na Igreja particular, como as decisões são tomadas, que instrumentos são promovidos para a transparência e responsabilidade, qual a formação dos que têm posições de responsabilidade.

Os frutos das reflexões, explica a Secretaria do Sínodo, serão condensados em cerca de dez páginas. O objetivo "não é produzir documentos", mas dar origem a sonhos, profecias e esperanças.

Fonte: Site Vatican News

. . .
Últimas Atualizações


Atendimento
Cúria Diocesana

De segunda à sexta-feira
Das 08h às 12h e das 13h30 às 17h30

Fone: (17)3422-6477
Email: diocesevotuporanga@gmail.com