Diocese de Votuporanga


Paróquia Santa Teresinha do Menino Jesus
Fundada em: 17/05/1998

Rua Sete de Setembro, 939
Centro
15310-000
Magda

(17)3487-1212
par.sta.teresinhamjesus@gmail.com
https://paroquiamagda.blogspot.com/
->Facebook link


Pároco:
Cláudio Sérgio Massoni

Missas
Horário das missas - Matriz e Capelas:

Terça-feira:
Primeira terça-feira do mês, Santa Missa na Capela N. Sra. Aparecida, às 19h30;
Nas demais terças-feiras, Santa Missa na Igreja Matriz, às 19h30

Quarta-feira:
Santa Missa na segunda quarta-feira do mês nos setores, às 19h30

Quinta-feira:
Santa Missa na última quinta-feira do mês, na Igreja Matriz, com bênção e exposição do Santíssimo, com o grupo da RCC

Sexta-feira:
Santa Missa em honra ao Sagrado Coração de Jesus, na primeira Sexta-feira do mês, às 19h30.

Última sexta-feira do mês:
Santa Missa no Celestino (comunidade rural N. Sra. de Fátima), às 19h30.

Sábado:
Santa Missa às 19h30 na Igreja Matriz.

Domingo:
Santa Missa às 19h30 na Igreja Matriz.

Atendimento

Secretaria:
Segunda à sexta-feira, das 8h às 11h30 e das 13h às 18h.

Atendimento do padre Cláudio:
Quarta-feira, à partir das 15h.

HISTÓRIA DA PARÓQUIA SANTA TEREZINHA DO MENINO JESUS:

O município de Magda foi fundado pelo Coronel João Braga, a quem coube fazer doação do patrimônio destinado à sua localização, em 05 de março de 1929. Nesta mesma data foi celebrada a primeira missa no local, em tosco altar, oficiada pelo Vigário de Monte Aprazível, Padre Agostinho dos Santos Pereira. A cerimônia é considerada, simbolicamente, o marco da fundação de Vila Magda, nome que homenageava uma filha do coronel João Braga. Aos 30 de novembro de 1944, pelo Decreto-Lei nº 14.334, foi elevado a distrito de paz. O rápido desenvolvimento da lavoura possibilitou sua elevação a município, que se deu pela Lei nº 2.456, de 30 de dezembro de 1953, constituído de um único distrito, pertencente à Comarca de Nhandeara.
Os primeiros moradores a praticar a fé sob a orientação espiritual do Pe. Agostinho foram as famílias Caselli, Braga, Pereira, Claudino, Giantomassi, Cardoso, Lóis, Marques, Flor, Cavalcanti, Teodoro, Ferreira, Batelo, Vanucci, Silva, Petrobom, Carrera, Húngaro, Perina, Bosquesi, Kama, Santos, Martinez, Lojúdice, Jordão entre outros. Dentre eles destacamos a devoção da senhora Maria Claudino Damasceno, que iniciou a prática da reza do terço mariano nas casas, acompanhada pelas famílias.
Por volta de 1930, com o terreno doado por Espólio de Armita dos Santos Innocência e Miguel Caselli, regularizado em 25/05/1977, legalmente representado pelo Sr. Veríssimo Caselli, as famílias acima citadas se mobilizaram para construção da primeira Capela.
A escolha da padroeira Santa Teresinha do Menino Jesus se deu devido à devoção da família Giantomassi, que doou a imagem e foi uma das pioneiras na organização das festas em prol da construção de uma Igreja maior.
Por volta de 1949, iniciou-se a construção da igreja matriz com o lançamento da pedra fundamental. Esta foi sendo construída envolvendo a pequena capela existente que, em certo momento, foi demolida para a continuidade da obra. A construção de 280 m² foi realizada aos poucos, com tijolos de barro, terminando com as pinturas sacras nas paredes internas em 1960, pelo pintor José Perez, de Mirassol/SP.
Em doze de outubro de 1965, foi inaugurada a capela Nossa Senhora Aparecida na Praça Pedro Giantomassi, sendo que o terreno e a construção da capela foram doados pelos senhores Antônio Giantomassi e Virgílio Giantomassi.
Em 15 de agosto de 1970, com a presença do Cônego Domingos Planillo, foi inaugurada na propriedade (rural, particular) do Sr. Clóvis Marques a capela de Nossa Senhora Aparecida, que permaneceu com este nome até 1980, quando então, sob orientação do Pe. Marcos Manderla, houve a mudança do nome da padroeira para Nossa Senhora de Fátima, devido já existir uma capela (urbana) tendo como padroeira Nossa Senhora Aparecida.
Lembra-se que com a chegada do Pe. Manfredo Knosala, em 1982, criou-se a Comunidade São Francisco de Assis na Fazenda São Francisco (Agropecuária C.F.M. Ltda.) com as celebrações religiosas realizadas no clube local. Em 1982 teve início à construção do salão paroquial, escritório paroquial, duas salas de catequese e uma casa paroquial.
Em 17 de maio de 1998, o senhor Bispo diocesano Dom Orani João Tempesta, Bispo de São José do Rio Preto, decreta a criação da Paróquia Santa Teresinha do Menino Jesus de Magda e dá provisão ao Padre Teodoro Gonçalves Silva, que fica como o primeiro pároco. A partir daí foram criadas as pastorais da catequese, da comunicação, da liturgia, da música, da esperança, do batismo, da juventude, a rede de comunidades é fortalecida, as comunidades rurais existentes, para que houvesse a evangelização do povo de Deus.
Em 1999, Pe. Teodoro, juntamente com a comissão administrativa da época, comprou um terreno para construir uma casa paroquial maior. Essa construção foi concluída em 2003 com o Pe. Denival Marques de Andrade, que residia em Floreal e dava assistência para Magda; como não tinha padre residente, a casa foi alugada.
Quando o Pe. Cláudio Sérgio Massoni tomou posse na paróquia, em 18 de junho de 2006, veio para residir e atender somente nesta cidade. Depois de um ano morando no sobradinho ao fundo do salão paroquial, a comissão da época, juntamente com o padre, depois que venceu o contrato do aluguel da casa paroquial nova, providenciaram a reforma de pintura da mesma, sendo Padre Cláudio o primeiro sacerdote a residir nesta casa a partir de agosto de 2007.
Em agosto de 2012, o referido Pe. Cláudio, depois de ter articulado os trabalhos pastorais e vendo o aumento da participação do povo, viu a necessidade de ampliar a Igreja Matriz, visto que não cabiam mais os fiéis na igreja. Então, juntamente com o Conselho Paroquial Administrativo e Econômico, resolveu fazer um plebiscito para ver a opinião dos fiéis sobre a necessidade de demolir a Igreja para construir uma nova maior e melhor estruturada. Como a Igreja estava com sérios riscos de infiltração, foi feito um laudo do engenheiro Gustavo Zanforlim, declarando que a Igreja precisava ser interditada, até mesmo porque o forro de estuque, material pesado, estava todo trincado e ameaçando cair. O plebiscito foi de 97% a favor da demolição, pois, depois de vários estudos viu-se que não tinha outra saída, a não ser demolir. Em agosto de 2012 a Igreja matriz, de 280m², foi demolida para construir uma Igreja nova de 601m². O novo projeto foi feito mantendo as mesmas características da Igreja anterior, porém, maior e com mais riqueza de detalhes, e tendo uma torre maior à frente, de 34 metros de altura. Em três anos a nova Igreja foi levantada e coberta e, com dificuldades, já se começou a usá-la mesmo sem fechar os vitrôs, no entanto, a fase de acabamento continua. Os fundos levantados para a obra têm sido através de doações, quermesses, leilões e promoções na comunidade; também a Diocese de São José do Rio Preto, na pessoa de Dom Tomé Ferreira da Silva, deu apoio isentando parcialmente à paróquia das taxas mensais.
Procurou-se até o momento colocar os melhores materiais; debaixo do solo foram colocados 25 caminhões de concreto e ferro, com perfurações de 12 metros de acordo com a sondagem do solo que foi feita na época; as portas são todas de madeira maciça (uma central, duas laterais e as demais num total de doze); os 49 vitrôs são estrutura de inox e, por enquanto, estão fechados com vidros comuns, mas futuramente tem-se a intenção de colocar vitrais.
Em outubro de 2016 a Paróquia Santa Teresinha do Menino Jesus, deste município de Magda/SP, deixou de pertencer à Diocese de São José do Rio Preto/SP, e passou a pertencer à nova Diocese de Votuporanga, cujo primeiro bispo, Dom Moacir Aparecido de Freitas.
Hoje, em junho de 2019, a Igreja matriz continua na fase de acabamento, mas agora terminando por etapa, pela dificuldade financeira. Ainda falta forro, instalação elétrica, piso, etc.